segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Nada bom, mas vamos manter o planejamento

Em 2008 começamos o campeonato voando, com belas tabelas, passagem dos laterais, toquezinho pra lá e pra cá, sempre envolvendo o adversário e dando chocolate nos adversários. Na metade do campeonato faltou fôlego e acabamos ficando pelo meio do caminho.
Já em 2009 e 2010 iniciamos com times mistos, aos trancos e barrancos enquanto o time titular se preparava. Aos poucos os principais jogadores foram entrando no time que a cada rodada ficava mais forte e quando estava valendo de verdade nosso time sobrou em campo.
É lógico que mesmo com times mistos nos anos anteriores não perdemos em casa na estréia e desta vez também não esperávamos uma derrota. Claro que ficamos insatisfeitos com o que vimos. E também ficou nítido que muitos dos que perderam para Chapecoense não tem condições de jogar neste time, muitos nem para o banco.
Gustavo, Thiesen, Medina, Rafa Costa, Carreirinha e Hegon já são velhos conhecidos e sabemos que não podemos esperar muito deles. Aliás, o Thiesen me surpreendeu negativamente, esteve muito mal e foi substituído já no intervalo. Estes provavelmente nem no banco devem figurar no restante do campeonato.
Há quem diga que o Renan falhou nos gols mas não vou condená-lo apesar de ter falhado na primeira bola cruzada no segundo gol. Mas o titular é o Zé Carlos. Me agradou bastante o Julinho, pra mim o melhor do AVAÍ, e não entendi sua substituição. O Romano também parece bom jogador.
Destes que estrearam, o único que deve ser titular na minha opinião é o Émerson Nunes. Acleisson, Romano e Julinho vão tentar brigar por uma vaga, mas acho que começam em desvantagem.
Mesmo bastante insatisfeito com a derrota, e principalmente com a apresentação do time, não podemos fazer terra arrasada e acho que o planejamento deve ser mantido. Fazer amistoso para testar o time, sabendo que não é um jogo oficial e poupando jogadores quando for necessário é bem diferente de jogar pra valer, forçando e correndo o risco de uma contusão por não estar devidamente preparado, coisa difícil de entender para muita gente inclusive para uns que tem o microfone na mão.

Um comentário:

Kk de Paula disse...

Concordo contigo, o Avaí deve manter o seu planejamento.