segunda-feira, 30 de maio de 2011

Seguindo a cartilha

Nossa torcida sempre se orgulhou de ser diferenciada, de enaltecer nossos jogadores e apoiar o time o jogo inteiro. Ao contrário, a torcida do lado de lá sempre foi geladeira e campeã em queimar seus jogadores.

Mas nestes últimos jogos nossa torcida rezou a cartilha deles direitinho. Nem falo do jogo contra o Vasco quando a torcida não conseguiu reagir para fazer o time reagir junto. Naquele jogo foi um choque muito grande por levarmos um gol muito no início e o time se abater e a torcida quando conseguiu se reerguer acabamos levando os segundo gol e aí desandou tudo mesmo.

Minha indignação é com a facilidade que se ouve vaias na Ressacada ultimamente. Não precisa nem o jogador errar vários passes ou não se esforçar, a torcida simplesmente escolhe um alvo e desestabiliza o jogador e por consequência o resto do time. Não sei no que este pessoal acha que está ajudando. Isto só prejudica o time. Quer vaiar deixa para o final do jogo.

Mas o pior foi o que fizeram com o Marquinhos. Por mais que alguém ache que ele está errado em aceitar a proposta do Grêmio, e o negócio ainda nem estava fechado ainda, mas vaiá-lo desde o início do jogo e em qualquer jogada, além de uma vaia enorme na sua substituição é coisa de quem ou não conhece a história dele no AVAÍ ou não entende a sua importância. E olha que ninguém deve ter levado em consideração o interesse do AVAÍ em receber a multa rescisória e facilitar a saída dele. O Marquinhos é o maior ídolo da história recente do AVAÍ. Pode sim ser vaiado (após o jogo) e cobrado assim como qualquer um, mas não da forma que foi, como clara pegação no pé. Foi covarde e humilhante.

Ele está mais do que certo em ir para o Grêmio e receber esta grana que se fala. A torcida do AVAÍ não merece mais a presença dele aqui. E olha que sentiremos muita falta.

6 comentários:

João Jr disse...

Perfeito Sandro. Concordo plenamente.

Eron disse...

Tudo bem com relação as vais, mas, acho que só tu acreditas que o negócio não estava fechado.
Eron

Thiago disse...

parabéns!
mais um blog sensato!!
realmente tinha condições do galego ficar, era só a diretoria se esforçar um pouco e nosso torcida ser realmente a nossa torcida!! não uma cópia da torcida das barbies!!
adivinha agora quem os q se dizem torcedores do avaí irão ver no meio de campo ao lado do estrada!?
o Robinho, etc...
(o último q ficar apaga a luz!)

abraço!!

Cerveja Futebol Clube disse...

Sandro,

Estive no jogo, me decepcionei bastante, mas resisti e não vaiei. Mas não acredito nesse papo que foram as vaias que o fizeram sair. Ele saiu porque quis, para ganhar mais dinheiro. E isso não é errado, futebol é a profissão dele. Ele jamais deixará de ser ídolo no Avaí, e todos sabemos do seu amor pelo clube. Mas nada disso faria ele ficar por aqui, pois não é mais um garoto e precisa pensar de seu futuro.

A impressão que me dá é que um circo foi montado para ele ser vaiado e assim justificar sua saída com os torcedores. Veja bem:

1-Ele avisa que só sai do Avaí se a torcida não o quiser mais.
2- Ele recebe a proposta oficial do Grêmio e vê que ela é ótima
3-Decidido a aceitar a proposta, precisa justificar sua saída
4 - Joga displicentemente contra o Atlético, e Silas o saca do time a poucos minutos do final da partida. Tudo perfeito para ser vaiado sozinho, separado do resto do time.
5- Finalmente vaiado, ele consegue a desculpa ideal para sair e ainda culpar a torcida por isso.

Sandro disse...

Concordo que a questão financeira deve ter falado mais alto, afinal neste contrato que ele fechou com o Grêmio receberá mais do que o dobro que ele receberia no AVAÍ, e isto tem que ser levado em consideração.
Mas vejam o que o André escreveu aqui http://andretarnowskyfilho.blogspot.com/2011/05/verdade-sobre-marquinhos-que-querem.html
Esta mesma história eu ouvi na Ressacada antes do jogo, portanto não acredito que seja invenção e neste caso não seria o Marquinhos o único e principal interessado nesta saída.
Independente de como tenha ocorrido a negociação, achei uma baita sacanagem que foi feita com um ídolo.
Saudações Azurras,
Sandro

Valeci disse...

Sandro! Meus parabéns fosses muito feliz em teu comentário.
Também concordo. Se o Avaí não tem condições financeiras para manter seu ídolo, paciência.
Agora se estávamos mal com Marquinhos pior e muito pior sem ele, pois ele é um comandante e tem carisma para isso.
E, agora quem irá substitui´-lo?
Substítui-lo na liderança, não vai ser fácil acertar esse time.
Mas, como diz o Marcinho Guerreiro, estamos apenas começando...
Vamos aguardar e torcer para que tudo dê certo para nós, mas será mais um ano com muito sufoco.
Espero que esteja errado e o time se organize e nos deixe tranquilo.
Um abraço.