terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O dilema Silas

Um dos grandes ídolos da história recente do AVAÍ divide opiniões nos momentos que antecedem seu retorno a Templo Azurra.
Inegavelmente ele foi um ídolo. Saiu daqui pela porta da frente, com honras de estado e direito a volta olímpica, coisa que só acontece no AVAÍ. Nos levou à Série A, vencemos um estadual que estava "pendente" há 12 anos e, como ele mesmo gostava de dizer, nos levantou a cabeça frente aos rivais, conseguimos olhar os demais da mesma altura ou de cima para baixo. Guardados os devidos exageros, ele foi sim um vencedor, voltou a fazer do AVAÍ um time vencedor, e merece muitos méritos por isto.
Mas depois da sua saída pisou na bola várias vezes. Nem falo do fato de dizer que amava mais o Grêmio que o AVAÍ, já repeti isto aqui várias vezes, isto pra mim é normal no futebol. O problema foi ter enfrentado a torcida no jogo contra o Grêmio pela Copa do Brasil, ter desdenhado o AVAÍ dizendo que nunca mais voltaria para cá e ter feito o possível para nos desestabilizar tentando tirar jogadores a qualquer custo.
Mas também acho que isto passa, com o tempo o torcedor esquece, o problema é que se passou muito pouco tempo, menos de um ano. O Silas é um grande técnico, tem minha admiração mas não acho que esta seria a hora para ele voltar, talvez daqui dois ou três anos e as feridas já estariam completamente cicatrizadas.
Por outro lado, neste momento não vejo um nome melhor para dirigir o AVAÍ, que conheça o futebol catarinente, suas peculiaridades, as dificuldades de se jogar no interior e na casa dos times que tem força junto à FCF. Além disto, ele conhece DE AVAÍ. Sabe como funciona, o que a torcida quer e exige, a forma que ela apóia e o que quer em troca.
Em resumo, gosto dele, acho um bom técnico, sua qualidade satisfaz a nossa necessidade, andou pisando na bola e não acho que esta seria a hora d'ele voltar mas talvez seja o nome ideal para o que precisamos agora. Como a decisão parece tomada vamos apoiá-lo para que possa repetir o que fez na sua primeira passagem.

6 comentários:

Alexandre Carlos Aguiar disse...

Concordo contigo. Também sou refratário a ele, mas no futebol as mágoas se dissolvem com um título, ou se avolumam com um rebaixamento. Se não der certo, demite-se e amanhã fará um dia.
A gente tem que ser mais racional.

evefloripa disse...

Sandro, muito complicado julgar. Silas não entrou em confronto com a torcida. Logo que adentrou a Ressacada foi recebido de maneira bem deselegante pela torcida. Lembro bem do corinho feito pela torcida, estava lá e não fiz parte do coro. Achei uma falta de consideração a tudo que fez enquanto esteve aqui. Lembre-se que nunca mostraram a pergunta do reporter. Imagina o reporter gaucho perguntando? Silas, qual amor é maior: o do Gremio ou o do Avaí?? Qual seria a resposta, naquele momento, que sua cabeça estava a premio, iria enfrentar o Avaí? Não poderia ter sido outra, ou mesmo que pudesse, com um bando de reporteres na sua frente, as vezes as palavras que saem não são bem aquelas que vc quer dizer. Eu acho críticas muito severas. Dá a impressão de que todo mundo é santo e que nunca tenha errado na vida. Não dá para lembrar das imensas alegrias que tivemos como torcedor durante a sua estada por aqui???

Almapi disse...

Desejo ao Silas um retumbante retorno. Só que a partir de hoje vou acompanhar o seu "sucesso" bem longe da Ressacada, pois, com a notícia de sua volta, acabo de me desligar da categoria de sócio do Avaí FC. Parabéns ao Zunino pela "escolha".

Sandro disse...

evefloripa,
talvez eu não tenha sido claro. Em relação ao que o Silas disse que amava mais o Grêmio do que o AVAÍ eu já falei várias vezes que acho isto normal, ele estava lá, sua cabeça estava a prêmio e a resposta não poderia ser diferente, além disto tem o que falaste, ninguém viu ou ouviu como foi a pergunta do reporter, mas isto passa.
Quanto ao desrespeito, as vaias, que ele recebeu na Ressacada naquele jogo contra o Grêmio, eu tb não o vaiei, mas também não o aplaudi. O enfrentamento com a torcida que me referi foi quando o Grêmio fazia gol ele comemorava de forma raivosa virado para torcida, como se tivesse uma história dentro do AVAÍ. Sei que é complicado não me alterar com uma situação como a que ele passou, mas ele se alterou e a torcida também, e mesmo aqueles que não o tinham vaiado antes do jogo, vaiaram depois daquela atitude.
Sem considerar os demais aspectos acho que o retorno é prematuro, mas na situação que nos encontramos precisando dar uma forma ao time para tentar o Tri acho que ele pode ter sido a melhor opção sim, e com certeza vou apoiá-lo no que for preciso.
Saudações Azurras,
Sandro

Anônimo disse...

Eu não o traria de volta. Porém, a pior volta foi do Evando. Deixo o time no pior momento em troca de uns trocados. Voltou, porque está se estabelecendo aos redores da Ressacada. Segundo a Rede de Baixos Salários, eles exige ser titular. Aí já começará o problema. Qanto ao Silas, não podemos negar de que é competente. Não deu certo no Gremio porque os gauchos tem cisma com tudo o que vai daqui para lá. Se acham superiores. Podemos observar pelos gauchos que temos em nossa terra. Os atos ditos improprios, cometidos pelo Silas, segundo vocês, são coisas do futebol. Todo o treinador gosta de ter jogadores com quem já trabalhou. Nós torcedores fomos muito ingratos com ele. Ama o gremio, como ama o avai como amará o Ibis quando for para lá.
Tenhamos calma e acho que, com o plantel que temos, ele vai fazer um grande trabalho. Assim espero.
abraços
décio

Anônimo disse...

O Avaí tem um plantel muito bom e o Silas é bom treinador, tem tudo para dar certo. É bom para o clube e para o futebol de Santa Catarina e volta dele. E muito bom para ele, que não deu certo (ou não deu sorte) em outros lugares.
O Benazzi é um técnico muito fraco, todos sabem disso. O Avaí o contratou em momento de desespero e concordo com o Sandro, qualquer mudança teria dado certo. O Benazzi é treinador de time pequeno, por isso é o "Rei do Acesso". Vejam o que foi o ano passado: o Avaí teve quatro treinadores, cada um com perfil diferente do outro. É assim que o clube quer ir para a frente? Improvisando? Por isso penso que o Silas pode dar certo, apesar do que o Sandro e outros, com razão, ponderam.
Abraços,
Alexandre.