segunda-feira, 17 de novembro de 2008

O dono da ilha

Aos poucos vou escrevendo mais um pouco sobre o acesso, coisas que não deram tempo de escrever semana passada.
Evando, este é o cara, o dono da Ilha.
Ele chegou quase na metade do campeonato, estreou contra o Bragantino aqui e já foi marcando gol.
E este foi apenas o primeiro. Nos primeiros jogos estava com uma média de um gol por jogo. Mas o que imprtava não era a média de gols ou a quantidade e sim a importância, e neste quesito ele foi insuperável.
Primeiro foi contra o todo poderoso Timão. Perdíamos por 1x0, jogo com chuva e quase no final do jogo, num cruzamento do Michel, ele fez o que ninguém em sã consciência imaginaria, um gol de bicicleta. O que foi aqui? A Ressacada enlouqueceu, ninguém acreditava no que estava acontecendo, nem ele. Mas ali ele começou a marcar seu nome neste campeonato.
Depois vieram outros gols importantes, pênalti perdido e finalmente chegamos na reta final da competição, e ali ele mostrou por que veio.
Contra o Marília, num campo encharcado ele deu o tal passe de calcanhar que parecia uma cabra. Gol do William, mas o mérito era dele. O jogo estava complicado, apertado e ali saímos do sufoco. E para os que diziam que foi sorte, ele provou que é treinamento.
Em seguida veio a Ponte Preta, um dos jogos mais duros que tivemos. 1x1, finalzinho do jogo, ele recebe um balão do Martini, ajeita pra perna esquerda e solta o tiro. É rede. Carinhosamente a bola beija uma trave e morre quase colada na outra.
E para passar a régua, num outro jogo dificílimo, onde chegávamos pouco, ele recebeu a bola no bico da área, ajeitou para o meio e chutou. Nem foi tão forte, nem foi tão colocado, mas foi com um "azeite" que vou te contar... O goleirinho ainda ajudou, tomou pelo meio das pernas, mas isto pouco importa.
O que importa é que a bola entrou, e o gol tinha que ser dele. O cara das jogadas inimagináveis, o cara dos gols decisivos, um dos responsáveis pelo nosso acesso.
Logo ele que estava no grupo que passou raspando em 2004 e disse que lá não estávamos preparados para subir e ficar, mas que agora tem certeza que estamos.
Obrigado Evando, fique por aqui, a casa é sua. És o dono da Ilha.

2 comentários:

Sou Avaí disse...

Só uma pequena correção.
No jogo da Ponte Preta - quando o Evando acertou aquele balaço - tava 1 a 1 e não 0 a 0, ok?

Saudações Avaianas
Valdez
Blog Sou Avaí

Sandro disse...

Tens razão Jovem, foi um lapso.
Obrigado pela correção, já foi retificado.
Saudações Azurras,
Sandro